Compartilhar, , Google Plus, Linkedin, Whatsapp,

Imprimir

Publicado em

Brasil à Mesa: Abaixo o ‘colonialismo gastronômico’

Para que importar vieiras do Canadá se elas podem ser encontradas bem perto, na Ilha Grande? E o vinagre precisa ser mesmo italiano? Teresa Corção garante que não e indica o produto fabricado em Campo Grande, na Zona Oeste do Rio. A chef, que luta contra o  “colonialismo gastronômico” desde a década de 90,  estampou, no cardápio de seu restaurante, um mapa do Brasil com a localização dos pequenos produtores que fornecem os ingredientes para suas receitas.

 

Escrito por Ursula Alonso Manso

Ursula Alonso Manso

Carioca, Ursula Alonso Manso é jornalista e colabora com a revista Prazeres da Mesa. Come para viver e vive para comer - o que não significa, porém, que coloque qualquer coisa na boca. Na websérie "Brasil à Mesa", percorre de botecos a restaurantes com estrelas Michelin, sempre em busca do alimento justo, correto e, claro, saboroso.

40 posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *