#Colabora fica com menção honrosa no Prêmio Patrícia Acioli

Série de reportagens ‘Sem direitos”, que venceu o Vladimir Herzog, dá rosto às estatísticas da exclusão social do Brasil

Por #Colabora | ods10 • Publicada em 3 de dezembro de 2019 - 12:11 • Atualizada em 3 de dezembro de 2019 - 12:18

Adriana Barsotti e Yuri Fernandes na cerimônia de premiação no Tribunal de Justiça do Estado
premio patricia acioli
Adriana Barsotti e Yuri Fernandes na cerimônia de premiação no Tribunal de Justiça do Estado

A série de reportagens “Sem direitos — o rosto da exclusão social no Brasil” recebeu menção honrosa na 8ª edição do Prêmio Amaerj Patrícia Acioli de Direitos Humanos, na categoria Reportagens Jornalísticas, em cerimônia realizada nesta segunda (3/12) no Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro. Em noite marcada por discursos em defesa da democracia, foi lembrado o legado da juíza que dá nome a premiação e foi assassinada por policiais militares em 2011. 

Produzida pelo #Colabora em parceria com os sites Amazônia Real e Ponte Jornalismo, a série “Sem direitos” foi idealizada pela autora, Adriana Barsotti, para dar rostos às estatísticas da desigualdade brasileira. Quase dois terços da população do país não usufruem de pelo menos um dos seguintes direitos: educação, aposentadoria ou Bolsa Família, moradia adequada, coleta de esgoto, abastecimento de água, coleta de lixo e internet. 

LEIA MAIS: veja a série de reportagens “Sem direitos” 

As outras reportagens vencedoras no Prêmio Patrícia Acioli foram: em primeiro lugar, “A invasão”, de Rafael Soares, do Jornal Extra; em segundo, “A lama que queima”, de Thais Lazzeri, da ONG Repórter Brasil; em terceiro, “A brutalidade que os laudos não contam”, de Caio Barreto Briso, da Revista Piauí, e  menção honrosa para “A besta”, de Henrique Beirangê e coautores, da RecordTV. Veja os vencedores de outras categorias aqui

Além de Adriana, a série “Sem direitos” contou com reportagem de Carolina Moura, Catarina Barbosa, Edu Carvalho, Fausto Salvadori, com imagens e vídeos de Yuri Fernandes, Daniel Arroyo e Pedrosa Neto, e infografia de Fernando Alvarus. Em outubro, a série ganhou o 41º Prêmio Jornalístico Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos, na categoria Produção Jornalística e Multimídia. 

O #Colabora, que completou quatro anos em novembro, colecionou prêmios em 2019: a segunda temporada da série de vídeos “LGBT+60: corpos que resistem”, sobre diversidade de gênero e sexualidade de casais da terceira idade, de autoria de Yuri Fernandes, venceu o Prêmio Longevidade Bradesco Seguros, na categoria Jornalismo – Web; o projeto de combate à fake news “É Boato” criado para a Coca-Cola Brasil num projeto de conteúdo de marca foi o vencedor do Prêmio Aberje, regional RJ-ES, na categoria Mídia Digital, e a reportagem “Exu na escolas”, de Leonne Gabriel, venceu o prêmio da Agência de Notícias das das Favelas (ANF), na categoria Educação.

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *