Compartilhar, , Google Plus, Linkedin, Whatsapp,

Imprimir

Publicado em

Dudu e Flávio: 22 anos juntos e mais fortalecidos após violência homofóbica

Vítimas da homofobia, Eduardo Michels e Flávio, ambos com 62 anos, foram agredidos por vizinhos, em 2017. Hoje, casal celebra o amor e conta como vem vencendo traumas


Os olhares de Eduardo Michels e Flávio Miceli atentos à TV, revelam a importância da data em que, coincidentemente, a entrevista foi agendada. É o segundo dia do julgamento da criminalização da LGBTfobia pelo Supremo Tribunal Federal. Juntos há 22 anos, o casal, que transborda bom humor por onde passa, tem em sua história uma triste memória relacionada à violência. Em 2017, foram espancados por vizinhos da vila onde moravam, na Zona Norte do Rio de Janeiro. Um ataque que, embora tenha deixado marcas, vem sendo superado graças à união e o amor dos dois.

LEIA MAIS: conheça outras histórias no especial LGBT+60

“A gente vai viver a nossa vida eternamente junto, porque nós fazemos parte um do outro”, declara-se Flávio. Eles se conheceram praticamente aos 40 anos, em uma festa eletrônica. “Pensei: ‘Chega de bater pista’”, brinca Dudu. Desde então, não se desgrudaram mais. As luzes e o som quase ensurdecedor das boates transformaram-se em tranquilos passeios ao shopping e idas ao cinema.

Assista ao vídeo acima e conheça mais sobre a história do casal, a terceira da segunda temporada da série ‘LGBT+60: Corpos que Resistem’.

LEIA MAIS: Ana e Tereza, mulheres trans e cis, são casadas há 40 anos

LEIA MAIS: Aos 67 e 72 anos, elas sonham com o casamento


Escrito por Yuri Fernandes

Formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Juiz de Fora, é mineiro de Ipatinga. Sempre sonhou em morar no Rio de Janeiro e realizou seu desejo em 2014 ao passar para o programa de estágio da TV Globo. Trabalhou nas redações do "Bom Dia Brasil", do "Jornal Nacional" e do "EGO". Tem grande interesse em pautas de inclusão social e diversidade de gênero. Acredita que o jornalismo pode e deve ser usado como forma de combater a opressão a minorias. Cresceu vendo novelas e sempre manteve essa paixão viva.

27 posts

Um Comentário

Deixe uma mensagem

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *