Compartilhar, , Google Plus, Linkedin, Whatsapp,

Imprimir

Publicado em

Pé no acelerador de negócios que podem mudar o país

Artemisia


A equipe da Artemisia: apoio a negócios de impacto social. Foto: Divulgação

Em 2004, uma americana de 23 anos enxergou no Brasil a possibilidade de integração entre negócios e impacto social positivo. E foi assim que Kelly Michel fundou a Artemisia, organização sem fins lucrativos que apoia empresas que promovem saúde, educação, moradia e qualidade de vida a pessoas de baixa renda. A ONG, com sede em São Paulo, está presente em 24 estados do país, impactando mais de 27 milhões de brasileiros. “Nos últimos 12 anos, a Artemisia  apoiou o realinhamento de institutos e fundações empresariais para que eles incluíssem em suas próprias estratégias o suporte direto e indireto a negócios de impacto social. Temos orgulho de saber que ajudamos a construir um ecossistema cada vez mais pulsante de atores engajados nesse tema”, comemora Maure Pessanha, diretora-executiva da organização.

Queremos potencializar uma nova geração de empreendedores que irão mudar o país. Sonhamos grande, mas somos muito pragmáticos no que fazemos para ter real resultado

Maure Pessanha
Diretora-executiva da Artemisia

O objetivo da ONG é reconhecer oportunidades de negócios – em diferentes setores – com potencial para gerar alto impacto na população de baixa renda. Nos últimos seis anos, pelo programa  Aceleradora, foram selecionadas 100: 51% deles já receberam investimentos, que somam mais de R$ 79 milhões. Entre os eleitos para fazer parte da rede de “acelerados” estão  startups com produtos em fase de testes no mercado ou já lançados e que buscam rápido crescimento. “Fazemos um cruzamento de oportunidades de mercado com os grandes desafios enfrentados pela população de baixa renda, para o fomento de uma nova geração de negócios, em diferentes setores, que, de fato, consigam transformar a vida de milhares de pessoas”, diz Maure. “Queremos potencializar uma nova geração de empreendedores que irão mudar o país. Sonhamos grande, mas somos muito pragmáticos no que fazemos para ter real resultado”.

Maure Pessanha:  “Sonhamos grande”. Foto: Divulgação

Entre os negócios de impacto social “acelerados” pela Artemisia estão:

. Livox:  solução tecnológica desenvolvida pelo empreendedor pernambucano Carlos Edmar Pereira para auxiliar a pessoa com deficiência a se comunicar e ser alfabetizada, via smartphones e tablets. A ideia nasceu da necessidade de Pereira de se comunicar com a filha, Clara, de nove anos, que tem paralisia cerebral.

. Playmove: a empresa de educação e tecnologia desenvolveu um produto para que autistas possam aprender brincando. É uma mesa digital (espécie de tablet), com vários joguinhos, para motivar as crianças (principalmente com autismo leve),  a interagir. Quando jogam juntas, elas aprendem a dividir, a esperar a sua vez, a ganhar e perder. Por meio dos jogos, além do aprendizado e da socialização, elas também desenvolvem a coordenação motora, a atenção e a percepção.

. Programa Vivenda: a startup promove melhorias nas residências da população de baixa renda, com reformas que têm impacto positivo na saúde e na qualidade de vida dos moradores. Casas mal  construídas aumentam substancialmente o risco de doenças respiratórias, por exemplo. Esse problema é agravado em áreas de elevada concentração populacional, como as favelas, onde as casas são construídas tão próximas umas das outras que, por falta de espaço, muitas vezes o morador não tem condições de abrir uma janela para a ventilação de um cômodo. No Brasil, são 40 milhões de pessoas vivendo em moradias inadequadas. A empresa atua com kits para reformas que podem ser pagos em até 30 parcelas, com entrega feita em até 10 dias.

Maure comemora o crescimento da rede de empreendedores interessados em atuar em negócios que gerem impacto social. Mas, apesar de tantas boas notícias para o setor, a organização enfrenta alguns desafios para conseguir atingir as suas metas e ampliar o leque de beneficiados. “Nosso trabalho só é possível graças ao apoio de pessoas e parceiros que compartilham conosco a visão de construir um país com iguais oportunidades para todos. Mas enfrentamos as mesmas dificuldades de outras organizações sem fins lucrativos em busca de apoiadores, como empresas, institutos e fundações, para ampliar nosso trabalho, de forma sustentável”, diz Maure.

Uma das formas de apoiar a instituição é participando do Curso Online em Negócios de Impacto Social. Todo o valor arrecadado é reinvestido na organização, para apoiar a nova geração de negócios de impacto social. A Artemisia também recebe doações diretas, por meio do site.  Empresas, institutos e fundações podem entrar em contato pelo e-mail: artemisia@artemisia.org.br. “Para construir os negócios do futuro deve-se assumir riscos, romper com padrões. Continuaremos trabalhando para garantir a construção de projetos que genuinamente melhorem a vida de centenas, milhares, milhões de pessoas”, conclui a diretora-executiva.

Ficha

Área de atuação Negócios de impacto social

Nº de funcionários com carteira assinada ou autônomos 17

Orçamento anual Não informado

Percentual doado pelo maior patrocinador Não informado

Existe formalmente há mais de 5 anos? Sim

Possui alguma atuação que busque influenciar as políticas públicas? Não

Publica prestação de contas periodicamente no site? Sim

Site www.artemisia.org.br


Escrito por Michele Miranda

Michele Miranda

É jornalista formada pela PUC-Rio. Há três anos se divide entre Rio de Janeiro e São Paulo, dependendo de onde esteja a notícia. Já trabalhou em “O Globo”, no “G1”, na TV Globo. Buscando entender as transformações pelas quais a mídia está passando, trabalhou na Artplan como coordenadora de conteúdo, aliando jornalismo à publicidade.

8 posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *