Compartilhar, , Google Plus, Linkedin, Whatsapp,

Imprimir

Publicado em

Incentivo ao carro elétrico

Em Portugal, primeiros motoristas a substituírem os veículos a gasolina receberão quase R$ 8 mil

Em Portugal já existem cerca de 1.600 postos de abastecimento de carros elétricos. Foto Nicolas Lambert
Em Portugal já existem cerca de 1.600 postos de abastecimento de carros elétricos. Foto Nicolas Lambert

Que tal trocar aquele carro velho, movido à gasolina, por um novo, elétrico e sustentável? Não gostou da ideia? Está sem dinheiro? Se sente apegado ao brinquedo antigo? E se alguém oferecesse quase R$ 8 mil como forma de incentivo? Melhorou? Pois é isso que o governo português começou a fazer este ano. A verba deste projeto supera a marca dos dois milhões de euros, com recursos oriundos dos Fundos de Intervenção Ambiental, da Proteção dos Recursos Hídricos, do Fundo da Carbono e do Fundo para Conservação da Natureza e da Biodiversidade. As primeiras mil pessoas que participarem da iniciativa vão receber cerca de 7.880 reais , cada uma. Além disso, o orçamento da União prevê que os proprietários de carros elétricos tenham um desconto de R$1.850 no imposto de circulação, equivalente ao IPVA brasileiro.

Em Portugal,  já é possível alugar um veículo elétrico por hora. A reserva pode ser feita através de um aplicativo no celular. Em seguida, é enviado um código que permite que a porta do carro se abra, já que a chave está lá dentro

Por aqui, a situação é bastante diferente. Para começar, é raro ver carros elétricos ou híbridos rodando nas cidades ou estradas. Eles são caros, muito caros, e não há infraestrutura de abastecimento. Incentivos em dinheiro para a compra? Nem pensar. No Brasil, quem insistir em adquirir um automóvel elétrico vai pagar algo entre R$ 130 mil e proibitivos R$ 850 mil, preço de uma BMW. Em Portugal, o modelo mais barato custa em torno de R$ 26 mil.

Mas nem tudo está perdido. Alguns movimentos tímidos estão sendo feitos no sentido de tornar a nossa frota um pouco mais sustentável. Uma lei aprovada recentemente prevê que os veículos que usam motor elétrico ou com célula de combustível (hidrogênio) passarão a ser isentos do imposto de importação, desde que a sua autonomia mínima seja de 80 km. Já o imposto para os híbridos cai de 35% e fica entre 7% e zero, de acordo com o nível de eficiência energética e o tamanho do motor a combustão. Mais: a cidade São Paulo decidiu devolver metade do IPVA pago pelos donos de carros elétricos. Eles também têm o direito de circular livremente, ficando fora do rodízio municipal.

No Brasil, um BMW elétrico pode custar até R$ 850 mil. Foto Huang zhengwei / Imaginechina
No Brasil, um BMW elétrico pode custar até R$ 850 mil. Foto Huang zhengwei / Imaginechina

A utilização do carro elétrico passou a ser a uma tendência no mundo. Existem vantagens óbvias, como o custo por quilômetro e o silêncio do motor. Além das emissões de gás carbônico serem nulas. Mas se há vantagens, existem também desvantagens. A autonomia é muito pequena em relação aos veículos tradicionais. Os postos de carregamento ainda são poucos. Carregar a bateria de um carro elétrico dura algumas horas, ao contrário do abastecimento com gasolina que demora apenas alguns minutos. Já a durabilidade da bateria é semelhante à de um celular ou à de um computador portátil. Assim, de tempos em tempos, elas precisam que ser trocadas.

Em Portugal, já é possível o dono de um carro elétrico fazer uma viagem de Lisboa para o Porto, através da auto-estrada que liga as duas cidades, uma distância de mais de 300 km, sem ficar com medo de parar no meio do caminho. Foi inaugurado neste trajeto o chamado Corredor Elétrico Norte, que torna a viagem mais fácil para carregar o carro. São quatro postos espalhados para o carregamento rápido. Isso possibilita percorrer os mais de 300 km, com a tranquilidade de, no caminho, encontrar esses postos de abastecimento. Antes de concluir este processo do Corredor Elétrico, só existiam postos de carregamento rápidos em duas cidades. Quem saísse de Lisboa em direção ao Porto, tinha dificuldades de completar o percurso. A auto-estrada que liga o centro ao Norte tem agora quatro postos de carregamento rápido para os veículos eléctricos: nos km 44, 126, 167 e 255. Assim, o objetivo é ter um maior mobilidade elétrica no território.

Existem mais de 1.600 postos de carregamento entre normais e rápidos, espalhados por cidades lusitanas. No Brasil, não existem ainda números exatos, mas estima-se que tenhamos pouco mais de 100 postos instalados pelas empresas do setor. Ano passado, Brasil e Portugal fecharam um acordo para desenvolver e produzir um carro elétrico. Ele seria produzido em Minas Gerais e abasteceria toda a zona do Mercosul, Portugal e o resto da Europa.

O Brasil também já tem um acordo de cooperação técnica com a Alemanha. Seu objetivo  é aprimorar o desenvolvimento e a implantação de veículos elétricos no país. O projeto, com duração de 4 anos,  receberá um investimento de 17,5 milhões de reais do Ministério de Cooperação Internacional e Desenvolvimento Econômico da Alemanha. As ações que estão previstas são a criação de diretrizes para linhas de financiamento e o apoio à disseminação de tecnologias inovadoras. Enquanto isso, em Portugal, já é possível alugar um veículo elétrico por hora. A reserva pode ser feita através de um aplicativo no celular. Em seguida, é enviado um código que permite que a porta do veículo se abra, já que a chave está lá dentro. Um dia chegaremos lá.

Escrito por Antonio Carlos Duarte

Antonio Carlos Duarte

É jornalista esportivo desde 1987 com passagens por algumas das principais rádios do Rio de Janeiro, como Globo, CBN e Tupi. Teve passagens também pelas rádios Tamoio e Brasil. Em Portugal, trabalhou nas rádios Cidade e Miramar. Atualmente é repórter esportivo da Bradesco Esportes FM e colaborador do jornal Record de Portugal

8 posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *