Kelly dos Santos sobre Vigário Geral: ‘Foram 21 trabalhadores na marmita’

Vigário Geral e a chacina na visão de dez moradores

Por Leonne Gabriel | ODS 11ODS 8Sem categoria • Publicada em 27 de agosto de 2018 - 15:51 • Atualizada em 27 de agosto de 2018 - 15:53

Compartilhe

Kelly dos Santos, 30 anos, do lar: "Foram 21 trabalhadores na marmita (caixa de remoção de corpos), dentre eles, meu tio" (Foto: Juliana Nascimento)
Kelly dos Santos, 30 anos, do lar: “Foram 21 trabalhadores na marmita (caixa de remoção de corpos), dentre eles, meu tio” (Foto: Juliana Nascimento)

“Eu nasci e cresci em Vigário Geral. A chacina me marcou muito. Não tem como esquecer. Foram 21 trabalhadores na marmita (caixa de remoção de corpos), dentre eles, meu tio. Eu tinha seis anos. Foi um desespero só. Aqui, cabe você saber viver. Tem que ser cego, surdo e mudo. Mas meus filhos podem ficar à vontade, eu conheço todo mundo. Na Zona Sul, eu não me sinto segura, em Vigário eu me sinto. Se der um grito, os vizinhos te socorrem. Eu não sairia de Vigário Geral. Lá fora, todo mundo é roubado”.

Newsletter do Colabora

Nossa newsletter é enviada de segunda a sexta pela manhã, com uma análise do que está acontecendo no Brasil e no mundo, com conteúdo publicado no #Colabora e em outros sites.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *