Taxistas debatem assédio, violência e racismo em workshops

Funcionários da 99 que têm contato direto com os motoristas no no Rio, com a nova modalidade da startup: o POP (Foto Zô Guimarães)

Maior startup de mobilidade urbana do país, empresa já conecta 200 mil motoristas e tem 14 milhões de usuários cadastrados

Por #Colabora | Conteúdo de marca • Publicada em 22 de agosto de 2017 - 00:11 • Atualizada em 8 de outubro de 2017 - 17:56

Compartilhe

Funcionários da 99 que têm contato direto com os motoristas no no Rio, com a nova modalidade da startup: o POP (Foto Zô Guimarães)
Funcionários da 99 que têm contato direto com os motoristas no no Rio, com a nova modalidade da startup: o POP
Funcionários da 99 que têm contato direto com os motoristas no no Rio, com a nova modalidade da startup: o POP (Foto Zô Guimarães)

Imagine a cena: 300 taxistas do sexo masculino reunidos em um auditório para debater assédio com integrantes do movimento feminista “Vamos Juntas?”. O encontro realizado em março de 2017, para marcar o Dia Internacional da Mulher, faz parte de um programa  educativo da 99, a maior startup brasileira de mobilidade urbana. Como parte de sua estratégia de comunicação, a empresa promove debates com os motoristas usuários do aplicativo 99Táxis sobre temas de interesse geral, como assédio sexual, racismo e violência, entre muitos outros.

Desde 2016 que, no Rio e em São Paulo, o aplicativo de transporte oferece a opção de se escolher uma motorista mulher, seja em carro particular ou táxi. A iniciativa surgiu depois que uma pesquisa feita pela própria empresa com 36 mil pessoas revelou que 60% gostariam de ter esta opção

“A 99 apoia diversas causas e organiza workshops com os motoristas cadastrados para melhorar seus serviços”, destaca a gerente de comunicação no Rio, Analu Andrigueti. Não é à toa que “Faça a coisa certa” é um dos valores da 99. “Valorizamos muito integridade e justiça. Incentivamos práticas éticas e construtivas em todas as nossas relações. Respeitamos todo mundo”, enfatiza a empresa em seu site.

No workshop sobre assédio, foram apresentados exemplos de casos reais e distribuída uma cartilha. Desde 2016 que, no Rio e em São Paulo, o aplicativo de transporte oferece a opção de se escolher uma motorista mulher, seja em carro particular ou táxi. A iniciativa surgiu depois que uma pesquisa feita pela própria empresa com 36 mil pessoas revelou que 60% gostariam de ter esta opção. Durante a campanha, também foi produzido um vídeo em parceria como o “Vamos juntas?”, que já tem mais de 800 mil visualizações. 

Outra pesquisa da 99, esta com 11.200 passageiros afrodescendentes, mostrou que 46% deles já sofreram preconceito racial em corridas em táxis ou carros particulares. Apesar de o resultado se referir ao mercado em geral e não especificamente a viagens feitas pelo aplicativo, o resultado motivou um workshop com o nome “Consciência negra”, realizado no final do ano passado. A ideia agora é criar um canal no YouTube para reunir os conteúdos dos debates.

A startup foi fundada em 2012. Com sede em São Paulo, a empresa é hoje líder entre os aplicativos de táxi e conecta mais de 200 mil motoristas a mais de 14 milhões de usuários registrados em mais de 400 cidades brasileiras.

O app oferece quatro opções de serviço, algumas apenas em determinadas cidades. No 99Pop, por enquanto disponível em Rio, São Paulo, Santos e São José dos Campos, são usados carros particulares. O 99Táxi está presente em todo o país e os táxis podem circular nos corredores de ônibus de Rio, São Paulo e Belo Horizonte. O serviço é oferecido também com desconto de até 30%, dependendo do horário do dia. Há ainda oferta de táxis de luxos, no 99Top.

Newsletter do Colabora

Nossa newsletter é enviada de segunda a sexta pela manhã, com uma análise do que está acontecendo no Brasil e no mundo, com conteúdo publicado no #Colabora e em outros sites.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *