Uma dança no trânsito

Por Custodio Coimbra | FotogaleriaMobilidade UrbanaODS 16 • Publicada em 20 de dezembro de 2016 - 09:11 • Atualizada em 2 de setembro de 2017 - 22:55

Compartilhe

Do excesso de ônibus no Centro à falta deles na Zona Oeste, tudo serve como justificativa. Mas não como explicação para as filas intermináveis, os veículos abarrotados e os engarrafamentos estressantes. Falta planejamento nas empresas, na prefeitura e na gestão do trânsito. A imagem do motorista almoçando no volante não é tão rara quanto parece, muito menos o uso do pneu como banheiro. Clique ou toque na imagem para ver estas e outras cenas cotidianas para os passageiros de ônibus no Rio.

Uma dança no trânsito

Custodio Coimbra

Fotógrafo de imprensa há 36 anos, Custodio Coimbra, 61 anos, passou pelos principais jornais do Rio e há 25 anos trabalha no jornal O Globo. Nascido no Rio de Janeiro, é hoje um artista requisitado entre colecionadores do mercado de fotografia de arte. Além de fotos divulgadas em jornais e revistas mundo afora, participou de dezenas de mostras coletivas no Brasil e no exterior. Tem sua obra identificada com a história e a paisagem do Rio de Janeiro.

Newsletter do Colabora

Nossa newsletter é enviada de segunda a sexta pela manhã, com uma análise do que está acontecendo no Brasil e no mundo, com conteúdo publicado no #Colabora e em outros sites.

Um comentário em “Uma dança no trânsito

  1. Patricia Costa disse:

    O s cariocas dirigem como se odiassem uns aos outros. Descontem gentileza ( e até desconfiam de você se for gentil). Nunca dão passagem pra ninguém.Vale um mergulho nessa realidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *