Colaboradores do Sistema Coca-Cola Brasil se engajam na prevenção à Covid-19

Jaciara Tavares previne a propagação do coronavírus entre os colaboradores da Solar, já Irineu Romanovski supera os desafios de transportar álcool pela primeira vez

Profissionais têm se destacado na luta contra o novo coronavírus dentro e fora do ambiente de trabalho

Por Fernanda Baldioti | Conteúdo de marcaODS 3ODS 9 • Publicada em 4 de agosto de 2020 - 20:17 • Atualizada em 19 de setembro de 2020 - 11:58

Compartilhe

Jaciara Tavares previne a propagação do coronavírus entre os colaboradores da Solar, já Irineu Romanovski supera os desafios de transportar álcool pela primeira vez

O Sistema Coca-Cola Brasil tem trabalhado incansavelmente para garantir o compromisso com seus consumidores e suas comunidades. Mas alguns colaboradores têm especialmente se destacado na luta contra o avanço do novo coronavírus dentro e fora do ambiente de trabalho. Aqui você pode conhecer algumas histórias inspiradoras.

Conheça as iniciativas da Coca-Cola Brasil e seus parceiros para ajudar no combate aos efeitos da Covid-19 nas comunidades mais vulneráveis. A prioridade das iniciativas é contribuir com bebidas e itens necessários aos trabalhadores da saúde, apoio a comunidades vulneráveis e amplificação das mensagens de prevenção.

Doutora Jaciara Tavares previne a propagação do coronavírus entre 12 mil colaboradores

Responsável pela saúde do trabalho de 12 mil colaboradores, na fabricante Solar, a médica Jaciara Tavares está enfrentando um dos maiores desafios de sua carreira. De Salvador, na Bahia, ela coordena a área de saúde da empresa desde outubro, e está trabalhando no combate à doença Covid-19. São dezenas de reuniões (virtuais) por semana para definir as iniciativas que vão proteger a vida dos colaboradores, para orientar os times e para captar dados essenciais para a criação dos protocolos. Algumas das medidas adotadas são: uso de máscaras; distribuição de álcool gel para todos, principalmente para os colaboradores que trabalham na rua; higienização dos caminhões no início e final de cada turno; higienização redobrada nos refeitórios, portarias e em toda fábrica.

O fator humano é primordial

Jaciara Tavares
médica na fabricante Solar

A equipe da Jaciara ainda faz o acompanhamento dos casos confirmados e suspeitos da doença em dez estados brasileiros (todos os estados da região Nordeste e no Mato Grosso). “O fator humano é primordial. É preciso preservar a saúde e a vida dos colaboradores. Afinal, esses trabalhadores estão nas ruas e nas fábricas para garantir o abastecimento da população”, ressalta a médica. Para ela, uma das maiores dificuldades é a luta contra o desconhecido. Por isso, é preciso se atualizar diariamente com leituras nas fontes oficiais de informação, e transmitir esses dados com o auxílio do trabalho educativo. “O engajamento dos times e também da diretoria e presidência da Solar tem sido essencial. Todos estão muito empenhados em conter a propagação do vírus e a ajudar os colegas nessa batalha”, diz.

Usando a criatividade e o método agile, Irineu Romanovski supera os desafios de transportar álcool pela primeira vez

Após 22 anos de Sistema Coca-Cola Brasil, Irineu Romanovski se deparou com um desafio inédito: transportar 250 mil litros de álcool líquido a 70%, um material inflamável que exige uma expertise específica por questões de segurança. A missão foi dada por uma causa nobre: para ajudar a conter o avanço do coronavírus, nossa fabricante Coca-Cola Femsa se juntou à União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica) para entregar o produto para a rede pública de saúde de diversas cidades do estado de São Paulo. Para viabilizar a operação, entrou em campo Irineu Romanovski, diretor de Serviços da Distribuição de Femsa, marido da Maristela, pai da Isabela e do Tiago.

Irineu e sua equipe tiveram que ser criativos e ágeis, já que não tinham a expertise de transportar este tipo de produto. Como é material inflamável, os motoristas precisam de um curso específico de Movimentação Operacional de Produtos Perigosos, exigido pela legislação para transporte de determinadas cargas. “Fomos buscar na nossa equipe quem tinha essa liberação e também contamos com o apoio de transportadoras parceiras que fazem nossas entregas urbanas. Com essa operação mista com parceiros e caminhões próprios, fizemos mais de 30 viagens para levar o álcool para várias cidades do estado”, conta Irineu, que dá suporte às operações de distribuições da Femsa em todo o Brasil, com mais de 2.800 veículos para entrega e 45 Centros de Distribuição. “Nunca vou esquecer a disponibilidade de todos os que estavam envolvidos. Recebemos a demanda em um dia, e já no dia seguinte, saímos com a primeira carga”, recorda, com orgulho.

Conteúdo publicado originalmente no site da Coca-Cola Brasil.

Fernanda Baldioti

Jornalista, com mestrado em Comunicação pela Uerj, trabalhou nos jornais "O Globo" e "Extra" e foi estagiária da rádio "CBN". Há dez anos, trabalha com foco em internet. Foi editora-assistente do site da "Revista Ela", onde se especializou nas áreas de moda, beleza, gastronomia, decoração e comportamento. Também atuou em outras editorias cobrindo política, economia, esportes e cidade.

Newsletter do Colabora

Nossa newsletter é enviada de segunda a sexta pela manhã, com uma análise do que está acontecendo no Brasil e no mundo, com conteúdo publicado no #Colabora e em outros sites.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *