Compartilhar, , Google Plus, Linkedin, Whatsapp,

Imprimir

Publicado em

15 canções contra o apartheid e pela liberdade de Mandela

Uma lista de músicas que ajudaram a denunciar os horrores do regime racista na África do Sul e que também perpetuaram o legado de Madiba


No centenário de Nelson Mandela (18/07/1918-5/12/2013), confira uma lista de músicas que ajudaram a denunciar os horrores do apartheid e a perpetuar o legado do líder sul-africano, chamado carinhosamente de Madiba. 

Leia também: 15 fatos que fazem de Mandela ‘o cara’.

1) Biko (Peter Gabriel)

A música não é sobre Madiba, mas sobre Steve Biko, líder negro que surgiu no vácuo de representatividade deixado pela prisão dos mais importantes líderes do Congresso Nacional Africano. Fundador do Movimento da Consciência Negra, foi morto em setembro de 1977 por omissão de socorro; depois de ser espancado por policiais dentro da cela e rodar meio país em uma ambulância, simulando uma transferência entre hospitais.

2) Soweto Blues – Miriam Makeba

Também não fala diretamente sobre Mandela, mas uma canção-protesto, escrita pelo músico/trompetista Hugh Masekela e interpretada pela artista sul-africana que se exilou durante o período do apartheid. A música fala sobre a revolta no bairro do Soweto, em 1976, cujo estopim foi a lei que obrigou todas as escolas sul-africanas a ensinar o africânder, idioma da elite branca do regime do apartheid. A música foi escrita e lançada em 1977 para lembrar os mortos na revolta.

3) Johanesburg – Gil Scott-Heron
Em 1975, Heron escreveu um libelo à liberdade de expressão sob um regime ultraconservador e repressor.

4) Simple Minds – Mandela Day

Os escoceses tonaram esta música num hino à liberdação de Nelson Mandela desde a primeira vez em que ela foi apresentada ao público, em 1988, num show em homenagem aos 70 anos de Madiba.

5) Mandela (“Bring Him Back Home”) – Hugh Masekela
Outro hino do movimento mundial pela libertação de Mandela. Foi lançada em 1987 e abriu caminho para que o Simple Minds também compusesse o hit acima.

6) Ordinary Love – U2

A mais recente canção dedicada a Mandela. Composta para o filme “Mandela: Long Walk to Freedom”, que será lançado apenas em DVD e streaming pago no Brasil.

7) Sun City – Artists United Against Apartheid
Projeto do músico (e ator) Steven van Zandt, da E Street Band, reuniu 49 artistas para um concerto contra o regime do apartheid.

8) Free Nelson Mandela – The Specials

Os britânicos do Specials lançaram essa música em 1984. No show pelos 70 anos de Mandela o compositor, do grupo, Jerry Dammers, tocou a música junto com os Simple Minds no show de 1988.

9) House of Exile – Lucky Dube
Homenagem a Mandela composta por um dos maiores músicos da África do Sul e lançada logo após a libertação dele em 1990.

10) Asimbonanga, Johnny Clegg

Clegg, mais conhecido com o “Zulu Branco”, adotou a música anti-apharteid lançada pela banda interracial Savuka em 1987. Tornou-se um hino sul-africano pela libertação de Mandela.

11) When You Come Back – Vusi Mahlasela

Vusi compôs e lançou a música em 1992 e a apresentou em um concerto na posse de Nelson Mandela como presidente sul-africano em 1994. A música também foi usada como tema de abertura da Copa do Mundo de 2010 na cerimônia no Orlando Stadium no Soweto.

12) Nelson Mandela Song – Nomfusi & The Lucky Charms

A cantora soul Nomfusi também interpreta Miriam Makeba no filme filme Mandela: “Long Walk to Freedom”.

13) Give Me Hope Jo’anna, Eddy Grant

Escrita e lançada pelo sul-africano Eddy Grant, em 1988, foi banida pelo governo do apartheid e, por isso, ganhou o coração e as mentes dos jovens negros sul-africanos da época. Fez enorme sucesso no Reino Unido e ajudou a despertar a consciência dos jovens britânicos sobre as arbitrariedades do governo sul-africano.

14) Black President – Brenda Fassie

A rainha do pop sul-africano também teve a oportunidade de cantar a música, composta em 1989, durante a cerimônia de posse de Nelson Mandela. Assim como a composição de Eddy Grant, a música foi banida pelo governo sul-africano na época do lançamento, o que decretou seu sucesso instantâneo.

15) Disco Graceland – Paul Simon

O disco não tem cunho político, não foi feito para desafiar o regime do apartheid, mas foi e continua sendo até hoje um marco do que chamaríamos de World Music. Ao ser lançado, em 1986, Simon foi acusado de se apropriar das músicas e da boa vontade dos músicos sul-africanos, mas por causa desse disco o regime segregacionista sul-africano foi posto com mais força contra a parede. O show de lançamento do disco no Zimbábue, país vizinho à África do Sul, em 1987,  foi um desafio direto ao governo do apartheid pois reuniu sul-africanos de todos os credos e cores. Inesquecível.


Escrito por Alexandre dos Santos

Alexandre dos Santos

Jornalista formado pela Uerj em 1996 e mestre em Relações Internacionais pela PUC-Rio. Trabalhou como repórter de jornal impresso e atualmente é jornalista de TV e professor de História da África no curso de Relações Internacionais da PUC-Rio. E-mail: alexandredossantos@me.com. Instagram: @alsantos72

6 posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *