Projeto incentiva retomada da cena cultural do país e traz de volta casas de shows tradicionais

Green Your City: a Heineken levou iluminação verde a marcos como o edifício Copan (Foto: divulgação)

A plataforma Green Your City, da Heineken, é um movimento que propõe uma nova relação com a cidade após retomada das atividades culturais

Por Luisa Valle | Conteúdo de marca • Publicada em 8 de dezembro de 2021 - 21:32 • Atualizada em 31 de janeiro de 2022 - 09:31

Compartilhe

Green Your City: a Heineken levou iluminação verde a marcos como o edifício Copan (Foto: divulgação)

Mesmo em momentos globais tão desafiadores, aos poucos, com o avanço da vacinação, o país que chegou a ser considerado um dos epicentros da doença começa a ver índices mais animadores. E junto veio também a esperança de um reaquecimento da economia e a retomada do tão sonhado convívio social, principalmente no setor cultural, um dos mais atingidos pela crise.
De acordo com recente pesquisa publicada pela Unesco, quase 50% dos trabalhadores da área perderam 100% da renda em 2020. Bares e casas de shows que fizeram história viram suas portas se fecharem. No início deste mês, no entanto, o movimento Green Your City, da cervejaria Heineken, trouxe de volta alguns dos mais tradicionais símbolos da vida noturna do país.

“Precisamos repensar esse futuro juntos. A cena cultural sofreu muito, os artistas ficaram parados por dois anos. O fato de trazer esse suporte ajuda a reativar essa cadeia. A partir do momento que você coloca o patrocínio, você ajuda a fazer essa parte”, explica Melina Domingos, coordenadora de marketing da marca.

Uma retomada emblemática em SP

A iniciativa tornou possível a volta – pelo menos temporária – de uma das casas mais emblemáticas da cena musical do país: o Studio SP. Após oito anos fechado, o local renasceu em seu antigo endereço, na Rua Augusta 591, e tornou-se um marco dessa retomada gradual das atividades culturais.

“É muito importante a presença de constantes investimentos públicos e privados na economia criativa da cidade e do país. A cultura foi o primeiro setor a entrar e será o último a retomar com toda sua potencialidade após a crise pandêmica. É importante que os produtores, artistas e o público também se envolvam no processo de retomada para que essa roda volte a girar, gerando emprego e renda e exercendo o fundamental papel social da cultura em sua plenitude”, afirma Alê Youssef, fundador do Studio SP.

Uma das casas icônicas de São Paulo foi reaberta com o apoio da Heineken: Studio SP (foto: divulgação)

Indutor de novos negócios

A reabertura aconteceu neste mês com um show da cantora Céu, que voltou ao mesmo palco onde há 15 anos lançou seu primeiro álbum. A agenda de shows vai até o ano que vem e inclui nomes como Otto, Tuyo e Del Rey, apresentações que, aliás, já estão com seus ingressos esgotados. Para Youssef, que é ex-secretário de Cultura de São Paulo, a volta do Studio SP com o projeto Green Your City pode ser um indutor de novos negócios na região e um exemplo de políticas públicas para a retomada da cena cultural:

“Sempre foi um dos objetivos iniciais da retomada do Studio SP ser um indutor de novos negócios, e já pude notar placas de “Aluga-se” sendo retiradas na região. Além disso, é muito legal a gente poder cumprir um papel de resistência e contenção da especulação imobiliária. A casa poderia virar exemplo até para políticas públicas em cidades e estados, dando visibilidade a novas cenas e indústrias criativas locais. Na lógica que a gente precisa ter uma grande articulação nacional para colocar a cultura no eixo central de desenvolvimento econômico e social, como uma saída justa, próspera e democrática para a crise instalada pela pandemia”.

Green Your City, por um futuro mais sustentável

Lançada oficialmente no dia 4 de novembro, a plataforma Green Your City traz um novo olhar para a ocupação dos espaços urbanos com foco em sustentabilidade. Segundo Melina, o objetivo não se trata apenas de recuperar bares, mas propor um elo entre o agora e o futuro e visando, assim, ao momento de retomada segura, e convidando as pessoas para juntos construirmos um futuro mais sustentável. Para isso, visando a representar e materializar esse momento de retomada, no dia de seu lançamento, a marca iluminou de verde pontos emblemáticos do Rio, de São Paulo e de Belo Horizonte.

“Mudanças efetivas e duradouras só são possíveis por meio do esforço coletivo. A partir deste pensamento entendemos que era necessário usar este momento da pandemia, da pausa do mercado, para fazer um grande estudo e entender o papel de uma grande cervejaria para a cultura e nossa responsabilidade com a sustentabilidade. As cidades representam apenas 3% da ocupação territorial no planeta, mas são responsáveis pelo consumo de até 80% de toda a energia elétrica e 75% da emissão de CO2 (Fonte: Nações Unidas)”, explica ela.

Heineken usa energia 100% renovável

Segundo Melina, a partir do estudo realizado, a marca firmou compromissos em três diferentes pilares: economia circular, cidades mais verdes e consumo responsável. Entre os compromissos estão ter ao menos 80% de embalagens circulares até 2030. Hoje, a produção brasileira da Heineken já é feita com energia 100% renovável nas cervejarias de Alagoinhas (BA), Araraquara (SP), Ponta Grossa (PR), e até , 2023 em Jacareí (SP). Além disso, a empresa pretende, até 2030, alcançar a marca de 50% de seus pontos de vendas funcionando com energia renovável, por meio de um projeto que facilita o uso de energia 100% renovável. A marca também pretende implementar microflorestas em 19 capitais.

Parceria fundamental

Para Pedro Seiler, sócio-fundador da plataforma Queremos!, parceira da marca, ocupar a cidade é fundamental. Em sua opinião, a pandemia fez as pessoas pensarem mais em seu entorno:

“Uma parte da população sem dúvida deu mais valor aos espaços públicos, parques, áreas verdes, locais de respiro em suas cidades. Durante muito tempo foi a única opção de lazer e acredito que isso será incorporado na rotina dessas pessoas e cidades. Ocupar a cidade é fundamental.”

Seiler, que espera realizar em maio de 2022 o Festival Queremos!, acredita que o apoio de empresas como a Heineken é muito importante para a retomada do setor e uma possível volta ao convívio social normal.

“Ver um projeto como esse, apoiando casas de pequeno e médio porte, festivais, produtoras, além de outras iniciativas da cena cultural é muito especial. Muitas casas, produtoras, festivais, artistas e iniciativas precisam desse apoio para voltar. O setor ao vivo ficou mais de 18 meses praticamente parado, toda uma área de profissionais e casas de show sem trabalho. Foi uma perda bilionária, além de um aspecto muito traumático e que vai demorar muito a normalizar. Por mais que tenham existido muitas lives e projetos desse tipo, sabemos que nada substitui o evento físico”, acredita Seiler.

Do virtual ao real

O empresário vê o formato online, que ganhou espaço com a pandemia, como uma boa solução, mas que dificilmente vai substituir os shows e eventos ao vivo: “O formato digital ganhou bastante espaço junto ao público e para vários artistas e eventos faz muito sentido. Acredito que ainda vão continuar e crescer bastante. Nós acreditamos que o digital é um parceiro, que pode potencializar, expandir, mas não substitui o presencial. Acredito que com o avanço da vacinação e controle do número de casos, a tendência é a volta de todas as áreas de lazer e entretenimento. Importante o comprovante de vacinação, e acho que boa parte do público vai optar por opções de locais ao ar livre, ou com área externa.”

A plataforma Green Your City incentiva a ocupação sustentável e responsável das cidades (Foto: divulgação)

Green Your City e a vida nas cidades

Com o Green Your City, além de aporte financeiro, a Heineken fez parcerias com locais que acreditam numa ocupação responsável do espaço urbano. A ideia é ressignificar a vida nas cidades de forma colaborativa e responsável, um convite para cocriação e inovação dentro da realidade que vem pela frente .

Em São Paulo, além do Studio SP, também fazem parte do projeto locais como Casa de Francisca, Bona, Heavy House, Áudio, Tokyo, entre outros. Eles foram iluminados de verde e receberam atrações especiais com curadoria da Heineken. O Mirante 9 de Julho, Edifício Itália, WZ Hotel, Restaurante Casa do Porco e trechos da Marginal Pinheiros também são alguns pontos que receberam iluminação verde.

No Rio, foram realizados eventos no Circo Voador e no Brewteco. Também ganharam iluminação verde pontos da cidade como o Hotel Nacional e o Edifício Chopin. Em Belo Horizonte, o Museu de Artes e Ofícios (MAO) e o Museu da Moda (MUMO) também receberam iluminação especial.

Luisa Valle

Jornalista formada na PUC-Rio com especialização em História do Rio de Janeiro pela UFF. Trabalhou no jornal "O Globo" por 14 anos, onde passou pela editoria Rio e pela Revista Boa Viagem, além de participar de grandes coberturas nas editorias de País, Mundo e Ela. Atualmente vive na Alemanha, onde trabalha como freelancer

Newsletter do Colabora

Nossa newsletter é enviada de segunda a sexta pela manhã, com uma análise do que está acontecendo no Brasil e no mundo, com conteúdo publicado no #Colabora e em outros sites.

Um comentário em “Projeto incentiva retomada da cena cultural do país e traz de volta casas de shows tradicionais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Sair da versão mobile