SEMIÁRIDO:
UM PERVERSO CARTÃO-POSTAL

A beleza, as cores e o dia a dia do sertanejo na convivência com a seca do Nordeste, que, quando começa, pode durar dias, meses ou anos.

O Semiárido cresceu e se espalhou por 1.262 municípios em dez estados. Vivem na região 27 milhões de pessoas. É na Bahia onde se concentra o maior número de cidades: 278.

O verão costuma ser 'brabo'. O sol torra tudo e acaba com o que era verde. A chuva, quando vem, mais parece um dilúvio. Assim é o sertão brasileiro, que não poupa gente, bicho ou planta.

Cactos estão por toda parte. Com alta resiliência, são especializados em resistir à falta de água. Assim como cerca de 1,7 milhão de brasileiros, que enfrentam problemas seculares de escassez.

Até os anos 70, Canápolis, no oeste da Bahia, era uma típica cidade do Cerrado. Mas de tão seco, o Cerrado foi diminuindo de tamanho, enquanto a região semiárida crescia, engolindo novos municípios.

Assim como Adão, alguns moradores de Canápolis, contam com a ajuda de um animal para pegar água na nascente mais perto de casa.

E a fragilidade hídrica da cidade vem se agravando. As nascentes estão secando. Por lá, crianças aprendem desde cedo a conviver com o problema.

Viver no Semiárido é aprender que na região o problema não é apenas a falta de água, mas sobretudo a falta de políticas públicas que ajudem o sertanejo a armazenar a água que cai do céu.

Chove pouco por lá e a quantidade é ainda mal distribuída. Ainda assim, a chuva representa a fonte de água mais importante para a população local.

As cisternas são parte da solução e mudaram o Semiárido: agricultores familiares conquistaram autonomia na produção de alimentos e melhoraram renda, mas o programa foi paralisado pelo governo.

O Programa Um Milhão de Cisternas, que já beneficiou 5 milhões de brasileiros, sofre com consecutivas reduções de verba. Em 2020, chegou ao pior patamar de investimento desde sua criação, há 17 anos.

De acordo com a Articulação Semiárido Brasileiro (ASA), 350 mil famílias aguardam na fila de espera pelas cisternas. Uma campanha foi lançada para construir mais de 1 milhão delas.

Apesar dos longos períodos de estiagem, o semiárido é vivo. Tudo junto e misturado compõem um cenário único, de beleza ímpar.

Confira mais na reportagem especial: Água, um bem de poucos.

Acesse!

Texto: Liana Melo
Fotos: Mirian Fichtner
Edição: Yuri Fernandes, Dan Torres