• Publicado em

    'Democracia está abalada'

    A democracia brasileira está sensivelmente abalada, mas não há motivos para temermos um novo golpe. Não que as instituições estejam fortes, e sim porque os militares perderam o apetite pelo poder. É a conclusão a que chegaram historiadores ouvidos pelo #Colabora sobre o cenário político atual, com a possibilidade de queda de um segundo presidente […]

    Leia mais

  • Publicado em

    'O golpe devora seus filhos'

    Autor de três livros sobre a ditadura militar – “Em guarda contra o perigo vermelho: o anticomunismo no Brasil” (Perspectiva, 2002), “Jango e o golpe de 1964 na caricatura” (Zahar, 2006) e “As universidades e o regime militar” (Zahar, 2014) – o professor Rodrigo Patto Sá Motta, da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), escreveu […]

    Leia mais

  • Publicado em

    Golpe de proporções exponenciais

    (Com a colaboração de Liana Melo) – Espalhados pelas três alas do prédio do Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada (Impa), 226 matemáticos desenvolvem projetos complexos, praticamente todos eles com repercussão internacional. O Impa é uma unanimidade entre os especialistas dos principais centros de pesquisa do mundo. Entre os muitos prêmios acumulados em seis décadas, […]

    Leia mais

  • Nesta guerra digital, palavras e conceitos importantes vão sendo jogados ao vento, formando uma nuvem de (des)informação

    Publicado em

    Leituras em tempos difíceis

    Numa época de ânimos exacerbados, que leva a pensamentos (e atitudes) extremos do tipo “se você não está comigo, está contra mim”, as redes sociais têm sido responsáveis por exibir a faceta menos bonita, digamos assim, da sociedade. Às vezes dá saudade do tempo das cavernas… E nesse espaço, a pretexto de se indignar, cobrar, […]

    Leia mais

  • Pamela Santos Gomes, 20 anos, moradora de Duque de Caxias, mãe de um menino de 2 e ambulante há 5 anos, desde que terminou o ensino médio

    Publicado em

    Domingo de política na Atlântica

    Havia um temor quase ‘profético’ que as manifestações – pró e contra o impedimento – na praia de Copacabana, no domingo, terminariam em briga ou coisa pior, já que uma das lideranças era do pessoal do Furacão 2.000, do funk, das favelas. Nada mais improvável. A despeito da camiseta ‘de guerra’ do pessoal do ‘contra’ […]

    Leia mais